ESPORTE, Saúde e qualidade de vida

          A saúde na nossa visão trata-se do bem estar físico, emocional, mental e social. Portanto nós trabalharemos em nossa campanha, saúde, esporte e qualidade de vida de forma integrada. Pois acreditamos que para nossa cidade dar conta das demandas na temática, não basta apenas ter espaços para práticas de atividades físicas,  é necessário fazer essa integração entre a saúde, o esporte e a qualidade de vida, para torná-los verdadeiros mecanismos de mudança na sociedade.

VEJA NOSSO VÍDEO SOBRE ESPORTE

O projeto que Defendemos

Quando falamos de saúde e qualidade de vida as primeiras coisas que nos vem na cabeça são os médicos, remédios, farmácias e hospitais. No entanto medicina, prevenção e ausência de doenças passam longe de ser sinônimos de saúde e qualidade de vida. Todas essas medidas estão diretamente vinculadas com o tratamento de doenças e enfermidades. Mas, se pensamos em promoção de saúde,  estamos deslocando nosso olhar das doenças, para levar uma vida saudável em todos seus aspectos, nas relações com as pessoas, quanto aos nossos corpos e mente etc.

Assim, é aliando o esporte à qualidade de vida e à saúde, que criamos ações de promoção de saúde, permitindo uma sociedade mais saudável e igualitária, onde o individualismo não se sobreponha ao coletivo.

Desejamos que a população francana tenha acesso a saúde, esporte e qualidade de vida nas suas mais diversas formas de expressão. Sabemos que hoje a nossa cidade possui demandas que vão muito além das oportunidades oferecidas e, ainda pensa esses elementos de forma separada, propagando uma visão equivocada de saúde.

Enfrentamos problemas semelhantes no caso do esporte, pois a primeira coisa que nos vem a cabeça quando pensamos esporte são os grandes campeonatos de futebol, handebol, voleibol e no caso de Franca, especialmente, o basquete. No entanto sabemos que essas são apenas algumas das inúmeras áreas de atuação do esporte como agente transformador da sociedade. Nós acreditamos no esporte como uma forma de construir uma sociedade de convívio mútuo, onde preconceitos e discriminações sejam quebrados e os desejos do coletivo estejam acima das vontades individuais.

Portanto, nosso projeto irá defender mais acesso à prática de atividades físicas, as diferentes modalidades de esporte e ao lazer para a juventude, mais espaços de convivência pra toda a população e mais integração entre os diferentes setores da nossa sociedade.

A realidade DE FRANCA

Quando falamos das demandas de nossa cidade com relação à qualidade de vida, temos um número insuficiente de parques públicos para prática de atividade física e lazer. Temos na cidade o Poliesportivo, localizado em uma área pouco acessível pra grande parcela da população, alguns centros esportivos comunitários pouco utilizados, clubes privados que não atendem a demanda da população e, apenas duas ciclovias para a prática de atividade física e lazer, uma com funcionamento somente em finais de semana e a outra com inúmeras interrupções no percurso, que atrapalham o uso.  

Na área da saúde mental temos apenas um Centro de Atenção Psicossocial para tratamento de álcool, tabaco e outras drogas na cidade e uma política de saúde mental cuja lógica ainda se faz contrária ao idealizado pelo movimento de saúde mental.

Na perspectiva da promoção de saúde temos algumas academias ao ar livre, em praças da cidade, que funcionam apenas como estruturas, pois não existem profissionais nas praças para fazer o acompanhamento da população, muito menos políticas para ocupação dos espaços públicos. 

No caso do esporte, tanto a prefeitura quanto a câmara municipal, focam suas políticas apenas no desenvolvimento do basquete na cidade. As demais modalidades de esportes não recebem recursos nem incentivo da atual gestão. Nos esportes com menor visibilidade, existe uma desvalorização dos atletas locais, que são mal remunerados pela prefeitura e acabam perdendo espaço para atletas de fora da cidade.

Nossas Propostas

1) Juntando a mobilidade urbana com a promoção de saúde da população, propomos a elaboração de um projeto que possibilite a criação de ciclovias nas principais vias da cidade que liguem a periferia às fábricas e ao centro da cidade.

2) Percebemos que muitas das praças com academias ao ar livre estão vazias tanto por falta de políticas para a ocupação dos espaços públicos como por falta de profissionais que estruturem as atividades, por isso é necessário um projeto de lei para as academias ao ar livre funcionarem com o acompanhamento de profissionais da promoção de saúde (Educadores Físicos).

Ao mesmo tempo, precisamos facilitar o acesso das pessoas aos equipamentos públicos de esporte, como quadras, materiais, bicicletas públicas. Neste sentido, propomos uma plataforma de cadastramento único, com a disponibilização de um cartão, onde o próprio usuário procede ao agendamento para uso dos equipamentos públicos e, tem acesso direto e livre aos materiais e espaços de esporte, através do seu cartão eletrônico de identificação.

3) Criação de uma Lei de Incentivo ao Esporte, direcionada para a promoção de campeonatos locais, nas diversas modalidades de esporte, visando a integração entre os diversos bairros e escolas municipais de Franca.

4) Tendo em vista o atual fenômeno da medicalização da educação; em que qualquer comportamento fora do padrão apresentado por crianças e jovens é transformado em um problema que merece ser tratado com uso de medicamentos;  é importante a criação de ações que combatam tal fenômeno. Isso se dará através da instituição de um dia de combate a medicalização, visando levar informação à população e; por meio da inclusão de metas e diretrizes sobre o tema no âmbito do Plano Municipal de Saúde.

5) Pela necessidade de humanização do parto defendemos respectivamente a criação de uma Lei que demande que maternidades, casas de parto  e hospitais fiquem obrigados  a permitir a presença de doulas durante e após o período de parto.

7) Criação de duas leis de incentivo às atividades físicas com a instalação de equipes com profissionais da educação física nas academias ao ar livre para que possa haver um acompanhamento saudável e responsável, além de uma política de uso de clubes privados, por meio de parcerias, por parte de escolas municipais.

PRA ONDE

FRANCA VAI?

Rafael Bruxellas

Empresário e sócio diretor da

empresa kOI

Copyright © 2019 Rafael Bruxellas. Todos os direitos reservados